Rede
Nacional de
Isótopos Forenses

.

Notícias

O Ministério Público chileno e a Polícia de Investigações do Chile promoveram, em conjunto, o IV Simpósio sobre "O Futuro da Investigação Criminal"

O evento reuniu mais de 300 participantes de ao menos 10 países, como Estados Unidos, Austrália, Espanha, Argentina, Chile, Brasil, Equador, Peru, Costa Rica, Guatemala, e República Dominicana. Participaram do simpósio promotores de justiça, peritos criminais, policiais, pesquisadores e outros profissionais envolvidos nos setores de segurança pública, persecução penal e ciências forenses.

Na oportunidade, a perita criminal da Polícia de Investigações do Chile e professora universitária Alejandra Carvajal, parceira da RENIF naquele país, proferiu uma palestra sobre as iniciativas de aplicação dos isótopos forenses no Chile e sua integração com o projeto Brasileiro, capitaneado pela Renif.

WhatsApp Image 2021-05-27 at 19.31.09.jp
banner3WS_site_lateral.png

Em breve estarão abertas as inscrições para a terceira edição do Workshop Nacional sobre Isótopos Forenses da RENIF. Confira a programação e acompanhe aqui e nas redes sociais.

141819303_1951872268297258_6034673536555

A InterForensics é a maior conferência forense da América Latina. Em 2021, em Curitiba/PR, serão discutidos os temas mais relevantes e atuais no âmbito das Ciências Forenses.

Matéria da NATIONAL GEOGRAPHIC sobre conservação de quelônios amazônicos menciona pesquisa de doutorado do Perito Criminal Federal e Diretor da RENIF, Rodrigo Mayrink, sobre o uso de isótopos estáveis para rastrear a origem de animais silvestres traficados. Esta técnica forense é uma forte aliada na luta contra o comércio ilegal de animais e plantas, e no Brasil ela já pode ser utilizada para a diferenciação entre quelônios amazônicos apreendidos de vida livre ou provenientes de cativeiro.

quelonios-da-amazonia-tartarugas-5.webp
quelonios-da-amazonia-tartarugas-3.webp

A Polícia Federal tem nova arma contra tráfico de fauna no Amazonas: análise de átomos. Desde janeiro de 2021, os peritos têm à disposição equipamentos que realizam análises de isótopos estáveis.

A Superintendência Regional da Polícia Federal no Amazonas investiu em equipamentos e capacitação de profissionais para começar a trabalhar com o que há de mais moderno em perícia no combate ao tráfico de fauna e outros crimes ambientais na região tendo adquirido um Espectrômetro de Massas de Razão Isotópica (IRMS) para esta finalidade.

faunanews.jpeg

.

Estudos com Isótopos Forenses