Rede
Nacional de
Isótopos Forenses

cordelcarrossel site.png
  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Pinterest
  • Tumblr Social Icon
  • Instagram
Notícias
aula Gabi.JPG

A Profa. Dra. Gabriela Nardoto, Presidente da RENIF ministrará a aula inaugural intitulada: "Como solucionar as questões ambientais e forenses com os isótopos estáveis"  para vários cursos de pós-graduação em ciências ambientais da região Nordeste na segunda-feira, 9/05, pela manhã. Não perca!

A edição especial da publicação científica internacional BrJAC (Brazilian Journal of Analytical Chemistry) sobre Química Analítica Forense conta com o ponto de vista “Forensic Analysis of Artworks: More than a (Complex) Analytical Issue” do Perito Criminal Federal Marcus V. O. Andrade, M.Sc, membro da RENIF. Além disso, apresenta editorial da Prof. Dr. Márcia A. M. S. da Veiga, entrevista com o Prof. Dr. Barry Logan, carta do Perito Criminal  Jesus Antonio Velho, PhD, sobre novas tendências na química analítica forense, bem como 4 Reviews, 8 Artigos, 1 Nota Técnica e uma apresentação do Instituto Nacional de Criminalística incluindo o Laboratório Nacional de Isótopos Forenses (LANIF). 

BrJACcapa.JPG

Em Santa Catarina, ação foi desencadeada após a coleta de marcas de sucos de laranja integral comercializados no estado, que apontaram a presença de açúcar exógeno em quatro das sete marcas coletadas. Todas as marcas foram analisadas pelo Laboratório Federal de Defesa Agropecuária do Rio Grande do Sul (LFDA-RS) para o parâmetro "Teor de Carbono do ciclo C3", que determina quantidade de adição de açúcar exógeno no suco. 

Para o suco de laranja integral, o resultado esperado na análise de isótopos de carbono (C3/C4) é 100%. Isso porque o suco de laranja integral não pode ser adicionado de açúcar, devendo os açúcares serem provenientes exclusivamente da fruta.

São as análises isotópicas desvendando fraudes em alimentos.

MAPA.JPG

O Ministério Público chileno e a Polícia de Investigações do Chile promoveram, em conjunto, o IV Simpósio sobre "O Futuro da Investigação Criminal"

O evento reuniu mais de 300 participantes de ao menos 10 países, como Estados Unidos, Austrália, Espanha, Argentina, Chile, Brasil, Equador, Peru, Costa Rica, Guatemala, e República Dominicana. Participaram do simpósio promotores de justiça, peritos criminais, policiais, pesquisadores e outros profissionais envolvidos nos setores de segurança pública, persecução penal e ciências forenses.

Na oportunidade, a perita criminal da Polícia de Investigações do Chile e professora universitária Alejandra Carvajal, parceira da RENIF naquele país, proferiu uma palestra sobre as iniciativas de aplicação dos isótopos forenses no Chile e sua integração com o projeto Brasileiro, capitaneado pela Renif.

WhatsApp Image 2021-05-27 at 19.31.09.jp

Matéria da NATIONAL GEOGRAPHIC sobre conservação de quelônios amazônicos menciona pesquisa de doutorado do Perito Criminal Federal e Diretor da RENIF, Rodrigo Mayrink, sobre o uso de isótopos estáveis para rastrear a origem de animais silvestres traficados. Esta técnica forense é uma forte aliada na luta contra o comércio ilegal de animais e plantas, e no Brasil ela já pode ser utilizada para a diferenciação entre quelônios amazônicos apreendidos de vida livre ou provenientes de cativeiro.

quelonios-da-amazonia-tartarugas-5.webp
quelonios-da-amazonia-tartarugas-3.webp

.

Estudos com Isótopos Forenses